— Tolisses

Coisas do Ulisses Mattos

Archive
Tag "Humoristas mortos"

Sabemos que é inevitável. Vamos ver todos os ícones do humor morrerem um dia. Isso se dermos sorte, pois corremos o risco de empacotarmos antes deles. Mas se a morte dos comediantes é mesmo um fato a ser aceito, impossível de contestar, podiam pelo menos dar um jeito de mudar os procedimentos normais nesses casos. Temos que bolar um jeito diferente de lidar com o falecimento deles. Há comediantes com uma história tão repleta de momentos cômicos que podem causar momentos embaraçosos. Imagina chegar perto do caixão para dar aquela famosa última despedida, olhar para a cara do finado e começar a rir. Vexame.

Por isso é que deveria ser elaborado um esquema extraordinário para tratar da morte dos comediantes e humoristas. Assim que um deles morresse, um departamento especial (a ser criado pelo Ministério da Cultura) seria acionado. Esses agentes comunicariam a Imprensa, que agiria como combinado previamente. Sairia uma grande reportagem nos jornais sobre a vida do falecido, mas sem nenhuma alusão à morte do sujeito. As TVs mostrariam uma coletânea de cenas engraçadas do artista, também sem dizer que ele morreu. Seria a senha para o público entender o que acabara de se passar. Para reforçar a mensagem, talvez alguns outdoors da sempre divertida empresa de seguro funerário Sinaf, com o rosto do comediante estampado nas ruas, mas sem dizer que ele bateu as botas.